Quais tipos de fermento existem?

Data: 09/07/2018

 Se você costuma acompanhar dicas de receitas, deve ter percebido que existem diferentes tipos de fermento para o preparo das refeições – cada um com suas respectivas características. Conhecer as indicações desses produtos é bastante importante para quem trabalha com panificação, por exemplo, ou gosta de se aventurar na cozinha. De modo geral, os fermentos possuem a mesma finalidade: dar corpo e volume à massa. Conheça os tipos mais utilizados:
 
Fermento químico em pó
Encontrado em mercados e mercearias, é popularmente conhecido como “fermento em pó” ou “fermento comum”. Sua composição é formada por bicarbonato de sódio e ácidos orgânicos. A combinação de umidade e calor em uma temperatura de 50°C a 60°C resulta em uma reação química que faz as preparações crescerem e ganharem leveza.
Seu principal uso é em massas de bolos, tortas e biscoitos, mas também pode estar entre os ingredientes de algumas receitas de pão ou pizza de frigideira. Cabe lembrar que o fermento químico em pó deve ser armazenado longe de umidade e luz, preferencialmente dentro de sua própria embalagem.
 
Bicarbonato de sódio
Além de ser um dos componentes do fermento químico em pó apresentado anteriormente, em alguns casos o bicarbonato de sódio atua como substituto – especialmente para dar leveza e aumentar o volume de bolos, biscoitos, cookies e ‘bolachas de vovó’. Mas para que ocorra a reação de crescimento, é necessário haverum componente ácido, como suco de limão, iogurte ou vinagre. Armazene em um local seco e fresco.
 
 
Fermento biológico
Formado por leveduras (micro-organismos), causa crescimento e aromas à massa quando misturado com farinha e água. Disponível no mercado em em grãos, em tablete ou em pó, sendo subdividido em duas categorias de acordo com o teor de umidade. São elas:
 
*Fermento biológico fresco: comercializado em tabletes ou saquinhos, como se fossem grãos. Sua umidade é elevada (cerca de 70%), portanto precisa ser conservado coberto dentro do refrigerador por até 15 dias. Recomendação de uso: cerca de 3% em proporção à quantidade de farinha em receitas de massas salgadas e 6% nas massas doces. Precisa ser dissolvido em água e funciona super bem para diversos tipos de pães e massas de pizza.
 
*Fermento biológico seco: encontrado em saquinhos de 10 a 100 gramas em forma de pó granulado, é resultado da secagem do fermento biológico fresco. Além de leveduras, possui um emulsificante em sua composição (monoestearato de sorbitana). Sua umidade é de 7% a 9%, proporcionando maior durabilidade: até seis meses conservado fora da geladeira – desde que em ambiente arejado e seco. Sua utilização em receitas de pão e pizza deve seguir uma proporção de 2% em relação a farinha ou ? do peso do fresco – basta acrescentá-lo à mistura, mas, em alguns casos, faz-se uma reidratação na água por cerca de 15 minutos.
 
Fermento natural
O fermento natural é famoso por sua qualidade, tornando-se cada vez mais utilizado em padarias que primam pela qualidade em todos os detalhes. Ele é obtido por micro-organismos presentes na farinha e na água, portanto é um ingrediente queridinho de quem adere à alimentação natural. Aditivos como iogurte, maçã, e mel podem ser usados para potencializar a fermentação.
O produto deve ser mantido com farinha e água em temperatura ambiente até alcançar a quantidade de levedura pretendida — esse período dura cerca de 10 dias. Depois, fica sob refrigeração para que os micro-organismos não morram. Na culinária, ganha cada vez mais adeptos na preparação de pães aromáticos, com textura e sabor deliciosos.
 
Agora que você conhece os tipos mais comuns de fermento, coloque as mãos na massa e experimente diferentes receitas para descobrir novos sabores!
 
Leia também:
- Cinco maneiras de usar bicarbonato de sódio na limpeza da casa
- Afinal, o que é bicarbonato de sódio?